domingo, 30 de setembro de 2018

Plantando mudas nativas




Acredito que quando pensamos em fazer alguma coisa que seja boa, no final de tudo apesar de todos os empecilhos que possam surgir à própria bondade conspira para que tudo dê certo. Os obstáculos que surgirem, vão ser apenas lições, para nos provar e mostrar do que realmente somos feitos.
Havia algum tempo que não plantava aqui na região. Nesta semana, através da ajuda de um amigo, consegui adquirir uma pequena quantidade para levar para o mato. A área onde plantei, tem um acesso bem complicado, ir lá pra acampar já demanda determinada condição física e preparação antecipada. Para levar uma caixa com mudas então, demanda mais do que isso! Demanda vontade de querer um mundo melhor. Pois, a degradação na minha região está em todos os cantos e infelizmente avançando. Confesso que me senti como uma formiga levando uma gota de água para apagar um incêndio. Entretanto, apesar de parecer algo tolo, eu continuarei a insistir nesta “tolice”.




segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Acampamento Selvagem de inverno - 2018

Como de praxe, não dispenso um camping no inverno. A natureza nesse período é especial, no cerrado o frio é divido entre o dia e a noite. No período do dia o calor é alto e logo que escurece, o frio chega junto com ele. Gratificante mesmo é ver que jovens ainda se interessam pela natureza e tem a disponibilidade de adentrar nessa prática.
Eis um pernoite muito bom!









terça-feira, 17 de julho de 2018

"Curando o feijão"

Neste vídeo demonstro uma antiga prática de conservação de alimentos. Conhecida aqui no centro oeste mineiro como: “curar o feijão”! Está técnica utiliza a terra de formigueiro para preservação dos grãos. Descobri através do meu amigo Cadu, do canal Bushcraft Way of life, que as formigas possuem mais de sessenta glândulas secretoras, que expelem substâncias fungicidas e fungistáticas em seus corpos. Essas glândulas foram uma das responsáveis pelo grande sucesso desses animais no solo onde estavam expostos a todo tipo de microrganismos patogênicos. Ainda assim fiquei curioso. Como no passado as pessoas conseguiram observar que a terra de formigueiro tinha essas propriedades e poderia ser utilizada para conservar o feijão?


quarta-feira, 30 de maio de 2018

Não importa como O Titulam

Não o conheço, apenas sinto sua existência, assim como o ar que respiro. Não posso provar sua essência e muito menos tenho interesse em fazer isso. Basta-me saber que é real para mim! Não espero que me forneças coisas materiais, mas espero um dia que me conceda a verdadeira paz! O ego do homem, de tamanho amplo e fragilidade imensa que possuí, atribui-lhe uma semelhança humana, para que julgais e pesais a vida como um produto. Entretanto, não perceberam que assim lhe deram um feitio déspota, longe do que realmente tu és. Sendo que basta olhar para as estrelas e ver que o desejo humano é uma insignificância perante a imensidão do universo! Aquilo que atribuem a seu nome, eu não reconheço como sendo! Entretanto, isso não tem importância, pois o valor maior de cada ser é seu caráter e não como o titulam!

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Alegria de mateiro é mato!

Há algum tempo venho desejando fazer uma trilha nesta região. Para minha surpresa, se revelou um lugar simplesmente incrível! Um cerrado nativo muito conservado e com um belo curso d´água! É vídeo curto, pois apenas fiz com o intuito de registrar o lugar. No próximo pretendo fazer um acampamento selvagem na região!













quarta-feira, 4 de abril de 2018

Viva a vida!


Ocupado entre o nascimento e a morte, cruzando aquilo que lhe foi dado pelo nome de vida. Segue você! Jogado ao acaso? Conduzido pelo destino?
Admite que o tamanho da vida seja insignificante perante o universo! Entretanto, tem consciência de que é o bem mais valoroso que possui! Parece que a vida nos coloca como clandestinos no inferno, perante nossa tão pequena existência. Pois aqui, tanto o paraíso quanto o inferno, dançam juntos no baile da vida! Tua escolha emoldura cada passo para tua morte e sua vida é como um punhado de areia nas mãos! Não pode retê-la e cada grão que se vai, é um dia a menos!
Sobra-te o que é o mais importante:
Preencher o intervalo entre o início e o fim!
Pois não importa se o fará, de qualquer forma a areia se esvairá!
Viva a vida!

terça-feira, 20 de março de 2018

Reconstruindo o abrigo selvagem

Esse camping que realizei tive uma surpresa de encontrar o abrigo derrubado, devido as tempestades de verão. Não havendo outra opção, resolvi sozinho reconstruir parte do abrigo para pernoitar. No final, funcionou perfeitamente!